UFSC aprova Calendário 2018 e institui comissão para avaliar a Corregedoria

29/11/2017 13:00

Três pontos de pauta do Conselho Universitário (CUn), importantes para a UFSC, foram debatidos na sessão ordinária desta terça-feira, 28 de novembro. O link da transmissão apresentou problemas técnicos no início da reunião, o que prejudicou o acompanhamento ao vivo do público externo.

Já no meio da discussão sobre o Calendário Acadêmico da UFSC para o ano de 2018, a exibição foi normalizada no momento da fala da conselheira Sônia Maria Hickel Probst em que pedia a inclusão de uma frase que faz referência ao início das aulas dos calouros de Engenharia de Materiais para evitar confusão de entendimento, já que estes estudantes ingressam no dia 26 de fevereiro, juntamente com os demais cursos, e no dia 5 de fevereiro os ingressantes até 2017/2.

Antônio Alberto Brunetta pediu a inclusão para o calendário de 2019 das datas do curso de Educação do Campo, do Centro de Ciências da Educação (CED), pois possui peculiaridades e já foi matéria de discussão na Câmara de Graduação. Alexandre Marino Costa, pró-reitor de Graduação, explicou que, neste caso, terá um calendário especial, e é importante evoluir para um documento único. E citou que na versão atual estará disponível um cronograma de discussões, de curricularização da Extensão

Marino também registrou o trabalho do Departamento de Administração Escolar (DAE), na figura do seu diretor Cesar Trindade Neves, que coordenou todas as ações, buscando informações e se antecipando ao próximo ano. Ressaltou o trabalho participativo e transparente do DAE.

Com a inserção de modificações pontuais, o Calendário Acadêmico da UFSC para o ano de 2018 foi aprovado pelo CUn por unanimidade.

Representante discente (centro) pediu vistas do processo que solicita nomear o “Centro de Cultura e Eventos Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo”

Na continuidade, um grupo de professores, estudantes e técnico-administrativos em Educação submeteu ao Conselho abaixo-assinado com a solicitação de nomear o “Centro de Cultura e Eventos Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo”. No relatório lido pelo conselheiro Walter Quadros Seiffert consta que “tal homenagem se fundamenta pelos relevantes serviços prestados (…), tendo feita da instituição sua vida” e para deixar marcado na UFSC o nome deste singular professor, a qual ele tanto amava. Foi exposto um histórico da trajetória do reitor e professor do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) de forma a fundamentar o pedido.

O conselheiro Carlos Antônio Oliveira Vieira, um dos primeiros a pedir a fala, mostrou preocupação, já que apenas 16 pessoas assinaram o pedido, o que para ele faltou critérios, julgou prematuro e pediu mais reflexão sobre o assunto.

Tailana, representante discente no Conselho Universitário, manifestou sua posição de que esse assunto fosse decidido após a conclusão da investigação contra o professor Cancellier.

Sônia alegou que acredita na inocência do professor e independente do número, poderia ter sido apenas um, tal ato é significativo pela forma como Cancellier foi humilhado.

Ainda entre as manifestações de favoráveis e contrários, ficando visível a oposição da representação discente à proposta, Tailana pediu vistas ao processo, o que encerrou o ponto de discussão.

A próxima solicitação, proposta pelo conselheiro Gregório Varvakis Rados, era sobre “constituição de comissão para revisão da Resolução Normativa nº 42/2014/CUn, referente à criação e regulamentação da Corregedoria da UFSC”, e parte da argumentação cita a “concorrência de atribuições com outros setores”.

Carlos Vieira falou que na ausência de parecer no processo, fez um histórico e disponibilizou na página do CFH (cfh.ufsc.br), no menu Representação Docente no CUn, diversos documentos referentes à criação da Corregedoria, entre eles atas das reuniões. Para ele faz-se necessário “estudar e revisar esta resolução com olhar legal, pois como foi feito, pode ter deixado algumas dúvidas no processo de correição”. Lembrou que, à época, um diretor da PF esteve na UFSC e ministrou curso específico de Corregedoria e sugeriu diversas melhorias na Resolução. A servidora Thayse Kiatkoski Neves, do Gabinete da Reitoria, foi uma das participantes. O conselheiro ressaltou a importância de trazer as pessoas envolvidas no treinamento para a comissão.

Foram escolhidos três titulares e um suplente, respectivamente, os conselheiros Sônia, José Isaac Pilati, Gregório e Arnoldo Debatin Neto. Não houve interesse da representação discente e na dos técnicos, foi incluída a servidora Thayse, mencionada acima.

Na parte de informes, Gregório, conselheiro e atual secretário de Educação a Distância, relatou um panorama da EaD na UFSC antes e depois da operação da Polícia Federal. Assista à apresentação:

 

Rosiani Bion de Almeida/Agecom/UFSC