Vídeos dos vencedores do concurso Imagine-PanGea traduzidos para nove idiomas

09/10/2017 14:57

Os vídeos vencedores do primeiro concurso de divulgação científica multilinguístico do mundo, o Imagine-PanGea, estão disponíveis no YouTube do Projeto Imagine em nove idiomas: português, inglês, espanhol, francês, italiano, grego, árabe, changana (idioma nativo de Moçambique, África do Sul e outros países africanos), e guarani (idioma indígena do Brasil).

Graças ao esforço de voluntários, tradutores e editores de vídeo, os quatro vídeos que foram premiados com os três primeiros lugares gerais e mais o campeão da África podem ser vistos com o áudio original (há vídeos em português, espanhol e francês) e com legendas nos nove idiomas listados. Dentre os vencedores, dois são vinculados à UFSC: Greyce Bernardo, da Nutrição e Ricardo Gutiérrez da Geografia.Traduzir pode ser mais complicado do que parece, ainda mais para idiomas tradicionais pouco influenciados pelo vocabulário acadêmico. Foi o caso do Guarani, que ficou a cargo de Joana Mongelo, a primeira Mestre Guarani do sul do Brasil, formada em Educação pela UFSC. Ela conta que vários termos usados nos vídeos não existem em sua língua materna e por isso acabaram tendo que ser mantidos em português. As traduções para o Changana ficaram a cargo de Ezra Chambal, doutoranda em Linguística na UFSC e Docente na Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique. A notícia do lançamento das legendas em idioma africano foi vista por mais de três mil pessoas e recebeu mais de duzentas curtidas, principalmente em Moçambique. Já as legendas em árabe fizeram muito sucesso no Marrocos e na Argélia.

O objetivo do concurso Imagine-PanGea foi democratizar o conhecimento e despertar o gosto pela ciência em pessoas que teriam pouco ou nenhum acesso ao universo científico, com foco em públicos da América Latina, Caribe e África. Os concorrentes eram estudantes de Mestrado ou Doutorado matriculados em alguma instituição de ensino destas três regiões. Os interessados enviaram um vídeo de três minutos, explicando seu tema de pesquisa de forma que pessoas simples e de qualquer lugar compreendessem. O concurso foi uma realização do Projeto Imagine, em parceria com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a RedPOP e o African Gong, e os vencedores podem ser acessados neste link.

As traduções continuam sendo feitas, para mais idiomas, como por exemplo o alemão, o iorubá (falado na Nigéria e com forte influência no português falado no Brasil), o umbundo e o kimbundo (falados em Angola). Novos voluntários para novos idiomas são muito bem vindos. A primeira edição do concurso aconteceu sem patrocínio, só com base no voluntariado. Para o ano que vem, os organizadores esperam encontrar entidades públicas ou privadas interessadas em financiar a iniciativa.

Os demais tradutores são: Ana Ramos Hrybe, Mauro Ramirez, Ingrid Wolin (espanhol), Rafaella Dantas (francês), Fernanda Matos (inglês), Fouad Amraoui (árabe), Dimitrios Karkagkelis e Anderson Bosio (grego), Lucia Ruocco (italiano) e Guilherme Carqueja (alemão).