Reitor Luiz Carlos Cancellier receberá homenagem póstuma no Congresso

11/10/2017 21:49

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) e a deputada Erika Kokai (PT-DF) apresentaram, nesta quarta-feira, dia 11, requerimento para que o Congresso Nacional realize no dia 31 de outubro, às 11h, uma sessão especial em homenagem ao reitor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Luiz Carlos Cancellier de Olivo, morto no dia 2 de outubro em Florianópolis, 18 dias depois de ter sido preso numa operação da Polícia Federal denominada Ouvidos Moucos. Na justificativa, os parlamentares escreveram:

“O professor doutor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, 59 anos, ingressou no curso de Direito da Universidade Federal de Santa Catarina em 1977, militou no movimento estudantil, foi jornalista, participou de campanhas pela anistia, Diretas Já e prestou assessoria à Constituinte.

Ao concluir a graduação fez mestrado e doutorado na área jurídica, além de especialização em Gestão Universitária e Direito Tributário. Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) exerceu a docência no Departamento de Direito, onde também foi diretor, além de dirigir o Centro de Ciências Jurídicas dessa instituição, posteriormente eleito para a Reitoria, assumiu a função de reitor da UFSC.

Nas palavras do procurador-geral do Estado de Santa Catarina, em Nota de Pesar, a morte do reitor “enluta Santa Catarina pela perda de um dos seus filhos mais ilustres, um homem digno, de poucas posses, que devotou os últimos anos de sua rica trajetória profissional à nobre causa do ensino, da pesquisa e da extensão universitária” e “a tragédia de sua partida ocorre sob condições revoltantes. As informações disponíveis indicam que Cancellier padeceu sob o abuso de autoridade, seja em relação ao decreto de prisão temporária contra si expedido, seja em relação à imposição de afastamento do exercício do mandato, causas eficientes do dano psicológico que o levaram a tirar a própria vida”.

A realização de Sessão Solene do Congresso Nacional em sua memória será uma demonstração concreta de compaixão pelo que sofreu o reitor e pelo luto de seus familiares e amigos, da entristecida e indignada Santa Catarina, da comunidade universitária brasileira e internacional e pelo sentimento nacional de indignação”.

Fonte: NDonline/Coluna de Carlos Damião