Pesquisadora da UFSC vence concurso alemão com projeto sobre produção e consumo sustentáveis

17/10/2017 10:56

O governo alemão promove em Berlim, de 16 a 27 de outubro, o encontro entre jovens cientistas de 21 países, com pesquisadores das áreas da ciência e da sustentabilidade. A 9ª edição do concurso Green Talents Award apresenta os vencedores da competição deste ano com projetos na área ambiental. A doutoranda em Direito Ambiental da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Kamila Pope, apresentou o projeto inspirado pelo ‘8º princípio da Declaração do Rio sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento‘ e propôs a pesquisa sobre obsolescência planejada.

Foto: Divulgação

O concurso oferece uma plataforma para que jovens talentos da pesquisa de todo o mundo compartilhem os seus projetos reconhecidos pela capacidade inovadora de tornar a sociedade mais sustentável, com ideias criativas capazes de responder as questões atuais mais urgentes sobre proteção ambiental e sustentabilidade.

Um júri formado por renomados especialistas alemães selecionou para esta edição 25 cientistas entre 602 candidatos de mais de 95 países. Os ganhadores – Austrália, Brasil, China, Egito, Fiji, Gana, Índia, Indonésia, Irã, Iraque, Coréia do Sul, Nepal, Nigéria, Paquistão, Filipinas, Rússia, Eslováquia, África do Sul, Suécia, Uganda e Estados Unidos -, encaminharam as suas iniciativas para o concurso em maio deste ano. O prêmio é uma das disputadas vagas para o “Green Talents – Fórum Internacional para Iniciativas de Alto Potencial em Desenvolvimento Sustentável”. Nesta edição, o concurso abordou o tema “Produção e Consumo Sustentáveis”. Essas questões, bem como os desafios enfrentados pelo meio ambiente em geral, exigem cooperação científica internacional.

Kamila Pope diz que os estados devem reduzir e eliminar padrões insustentáveis de produção e consumo. Com isso, Kamila propõe soluções jurídicas, econômicas e políticas para superar a prática da obsolescência planejada, atingindo padrões de produção e consumo mais sustentáveis.

Kamila Pope. Foto: Divulgação

Obsolescência planejada é uma estratégia utilizada para redução artificial da durabilidade dos bens de consumo, induzindo os consumidores a comprar novos produtos antes do que seria necessário e, portanto, mais frequentemente do que normalmente o fariam. Em sua pesquisa, apresenta quais são as estratégias que podem enfrentar esses desafios a partir de múltiplos ângulos. “Há atualmente diferentes tipos de obsolescência planejada. O uso de técnicas e materiais de baixa qualidade, as quais fazem com que o produto deixe de funcionar depois de um curto período de tempo; o lançamento de novas tendências estéticas a cada temporada com o reforço de estratégias agressivas de marketing; e a utilização de atualizações de sistemas que tornam dispositivos eletrônicos inoperantes são todos exemplos dessa prática. A utilização da obsolescência planejada pelo atual modelo econômico contribui para a superexploração de recursos naturais e superprodução de resíduos”, explica a pesquisadora.

Os Green Talents contam com duas semanas de interação com importantes especialistas em algumas das mais renomadas instituições e empresas de pesquisa do mundo, incluindo o Centro Alemão de Dados de Sensoriamento Remoto (DFD), o Instituto Fraunhofer de Sistemas de Energia Solar (ISE), o Instituto de Estudos de Sustentabilidade Avançada (IASS), o Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT), a Universidade Técnica de Munique (TUM) e a VAUDE – fornecedor de equipamentos inovadores e sustentáveis para montanhismo. Além disso, os pesquisadores poderão trocar ideias com importantes especialistas alemães em reuniões individuais para obter uma visão aprofundada do sistema de inovação do país, de forma que eles aprendam sobre as suas abordagens e tecnologias de última geração. Eles também ganham acesso exclusivo à Rede Green Talents, composta por alunos de diversos países que atuam no segmento de desenvolvimento sustentável.

Mais informações no site do Green Talents.