16ª Sepex: estande de saúde realiza testes rápidos de HIV e Sífilis

20/10/2017 09:00

Durante a realização da 16ª Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC são ofertados aos visitantes diversos serviços gratuitos na área da saúde. Um deles é o teste rápido de HIV e Sífilis, um trabalho do Laboratório de Biologia Molecular, Microbiologia e Sorologia (LBMMS/UFSC) em parceria com o Ministério da Saúde que visa validar os testes que serão, em seguida, disponibilizados à população brasileira.

Somente na manhã do primeiro dia de Sepex, 19 de outubro, foram coletados 50 testes. O objetivo até o final do evento é atingir 200 testes. Segundo a professora Maria Luiza Bazzo, fazer o teste rápido para HIV é importante porque integra uma política nacional. “Pretende-se identificar até 2020 o maior número possível de pessoas infectadas pelo HIV para que o tratamento comece imediatamente”, explica Bazzo, dizendo também que hoje o país vive uma epidemia de Sífilis que é mundial.

O teste rápido é aplicado em visitantes com idade superior a 18 anos. Jenn Lopez, estudante do curso de Letras/Espanhol da UFSC foi um dos participantes. Para ele, iniciativas como essas são fundamentais e precisam ser prestigiadas. “Como militante LBGT eu acompanho as campanhas e acho importante para qualquer cidadão realiza-los. Também, acho importante dar margem, estatísticas, para as pesquisas. Nós temos que aproveitar essas oportunidades para dizer que esse projeto é importante  e não pode acabar”.

MAIS

A oferta de testagem para HIV faz parte da política de acesso ao diagnóstico que objetiva identificar o maior número possível de pessoas infectadas para ofertar imediatamente o tratamento. Essa política de tratar rapidamente tem por objetivo preservar o sistema imunológico do indivíduo e diminuir o risco de transmissão da infecção. Sabe-se que pessoas com carga viral indetectável do HIV têm pouca chance de transmitir a infecção.

A oferta de teste rápido para sífilis tem por objetivo identificar os casos e tratar os indivíduos para conter a infecção, que atualmente está evoluindo para caráter epidêmico. Além disso, evita as consequências da sífilis não tratada, incluindo a congênita. No estande haverá a participação de um médico que vai tratar os casos de sífilis e encaminhar os possíveis casos de infecção pelo HIV para realizar o exame de carga viral e atendimento na Rede Básica de Atenção à Saúde.

O Programa de Avaliação Externa da Qualidade para Testes Rápidos (AEQ-TR) é uma parceria entre o Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do Ministério da Saúde (DIAHV/MS) e o Laboratório de Biologia Molecular, Microbiologia e Sorologia da Universidade Federal de Santa Catarina (LBMMS/UFSC).

O objetivo do programa AEQ-TR é atuar como uma ferramenta educativa, que visa avaliar como o teste é executado e interpretado individualmente pelos profissionais que estão realizando a testagem.

Você pode cadastrar a instituição de saúde clicando AQUI.

Nicole Trevisol/Jornalista da Agecom/UFSC