UFSC Araranguá sedia primeira etapa da Maratona de Programação

13/09/2017 15:54

A Maratona de Programação é uma competição da Sociedade Brasileira de Computação que desafia estudantes da área e afins a resolverem problemas dos mais variados tipos usando um computador. O evento é composto por duas fases. Na primeira, os melhores times de cada região do Brasil são selecionados. E as equipes, de cada sede que se destacarem, participarão da Final Brasileira da Maratona de Programação, que será realizada nos dias 10 e 11 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR).

Neste ano foram inscritas 816 equipes de todo o país. A cidade de Araranguá foi escolhida para ser a sede da primeira fase e acolheu 20 equipes de universidades da região. A Udesc Joinville contou com 11 grupos, a UFSC Araranguá com quatro, o Centro Universitário Barriga Verde (Unibave) de Orleans com três, a Unisul Florianópolis com uma e a UFSC Florianópolis também com uma equipe. 

As equipes tinham até cinco horas para dar soluções para 13 problemas, que ocorrem em aplicações práticas de áreas como: Matemática, Biologia, Letras, engenharias, trânsito, jogos, música etc. O professor da UFSC, Alvaro Junio Pereira Franco, afirma que isso mostra de, alguma forma, como a Computação é multidisciplinar.

A equipe da Udesc, Traveling Balloonsmen, resolveu oito problemas e foi campeã da competição em Araranguá. A equipe que conquistou a segunda colocação também é da Udesc, MeGa, que resolveu cinco problemas, e em terceiro lugar ficou com a equipe da UFSC Araranguá, Árvaro Binário, que também resolveu cinco. Deste modo, a equipe campeã  foi selecionada para a segunda fase e, por enquanto, esta é a única equipe que representará o estado.

Alvaro enfatiza que o principal resultado alcançado pelo evento está relacionado à formação de recursos humanos de ponta para a Computação. Ele destaca que os problemas nesta competição não são fáceis. “Dada a quantidade de problemas resolvidos pelas equipes que ficaram nas primeiras colocações, temos a certeza de que os alunos membros dessas equipes estão preparados para resolver problemas difíceis usando um computador”, destaca.

Com informações e fotos do professor Alvaro Junio Pereira Franco