Professor visitante recebe prêmio por contribuir no estudo da literatura brasileira em chave comparada

13/09/2017 11:31

Berthold Zilly, professor aposentado da Freie Universität Berlin e da Universidade de Bremen, e atualmente professor visitante no Programa de Pós-Graduação de Estudos da Tradução (PGET) da UFSC, recebeu prêmio Blaise Cendrars no XV Congresso Internacional da Abralic 2017, realizado na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) em agosto de 2017.

O docente enfatizou o papel decisivo da cultura brasileira assim como dos estudos literários e tradutórios deste país, para sua própria formação como intelectual e como pessoa humana. Mostrou-se grato e feliz por ter oportunidade de dedicar-se há várias décadas como pesquisador, professor e tradutor, ao estudo da literatura brasileira e latino-americana, e ao diálogo cultural entre o Brasil e a Alemanha.

O Prêmio Blaise Cendrars é outorgado pela Associação Brasileira de Literatura Comparada (Abralic) anualmente, desde 2016, como reconhecimento a especialista estrangeiro por sua contribuição ao estudo da literatura brasileira em chave comparada.

Berthold Zilly estudou filologias românica e germânica em Bonn, Caen, São Paulo, Berlim. Doutorado sobre Molière, FU Berlin (1976). Ensinou estudos latino-americanos na FU Berlin 1974-2010, de 2004-2010 também na Universität Bremen. 1978-1980 “Lektor” de língua e literatura alemã em Fortaleza. Desde 2011 professor visitante na PGET da UFSC. Publicações sobre literaturas brasileira e argentina, com enfoque na relação literatura – história; análise de texto – tradução. Traduções para o alemão, p.e.: Os Sertões de E. da Cunha, Triste fim de Policarpo Quaresma de Lima Barreto, Memorial de Aires de Machado de Assis, Lavoura arcaica de Raduan Nassar. Prêmio Wieland de Tradução (Alemanha, 1995), Ordem “Cruzeiro do Sul” (Brasil, 2001); Prêmio Martius-Staden (Brasil, 2012). Atualmente se dedica à tradução do Grande Sertões: Veredas, de Guimarães Rosa para o alemão.

Com informações do PGET/UFSC