Centro de Estudantes do Núcleo de Estudos da Terceira Idade funda Academia de Canto e Letras

18/09/2017 14:52

A fundação da Academia de Canto e Letras do Centro de Estudantes do Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Ceneti) foi marcada por homenagens a 35 pessoas que se destacaram pela notoriedade na causa do idoso. A Academia surge com o objetivo de ampliar, harmonizar e qualificar as ações de caráter cultural articuladas pelo Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti) e Ceneti. A cerimônia, que reuniu familiares de acadêmicos e de patronos homenageados, além de alunos e integrantes do Neti,  ocorreu na última sexta, 15 de setembro, às 15h, no auditório Elke Hering, da Biblioteca Universitária (BU). 

Estiveram presentes na cerimônia de fundação o coordenador de ações de extensão da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da UFSC, Juan Antonio Altamirano Flores; a coordenadora do Neti, Jordelina Schier; a presidente do Ceneti, Eddy Frantov; a diretora da BU, Roberta Moraes de Bem; e o presidente da Associação dos Cronistas, Poetas e Contistas Catarinenses, Augusto Abreu Teodoro.

Juan ressaltou o apoio da Proex para com as atividades do Neti. “Para nós sempre significou algo muito particular as iniciativas de todos que integram o grupo”, pontua. Roberta declarou que se sentiu honrada em representar a BU. Ela vê uma ligação na missão do Neti com a da Biblioteca, por isso se coloca à disposição para realizar trabalhos conjuntos. Jordelina fez um agradecimento especial às pessoas que fizeram a Academia realmente existir. Emocionada, ela diz que se sente orgulhosa de ter como patrono uma pessoa especial e significativa em sua trajetória. Augusto declarou a alegria em receber o convite e destaca a parceira entre a Academia e a Associação.

Coral Vozes da Ilha animou a cerimônia de fundação da Academia de Canto e Letras do Ceneti

Após o acendimento das três velas, amarela, azul e branca, o grupo de canto Vozes da Ilha entoou o hino de Florianópolis “Rancho de Amor à Ilha”. Em seguida, foi dado início a assinatura do termo de posse dos membros da Diretoria Executiva da Academia. Como presidente tomou posse Osmarina Maria de Souza, e na vice-presidência a professora Maria Cecília Antonia Godtsfriedt. Leny Baessa Nunes foi empossada como secretária e Augusto Abreu Teodoro, como assessor cultural.

Os dez primeiros acadêmicos a ocuparem as primeiras cadeiras receberam a medalha da academia e o certificado e foram vestidos com a samarra. Enquanto eram chamados, uma imagem do seu patrono era projetada no telão. Osmarina, presidente da Academia, assumiu a primeira cadeira, da patrona Neusa Mendes Guedes, fundadora do Neti. Maria Cecília, vice-presidente, assumiu a cadeira de número dois, relativo a patrona Matilde Vieira; Leny, secretária, ocupou a terceira cadeira, da patrona Raquel Quadros Seiffert; Augusto, assessor cultural, assumiu a quarta cadeira, da patrona Hilta Teodoro Bencciveni. Leilane Zavirizi da Rosa, não estava presente, mas foi indicada para a quinta cadeira, relativo a patrona Maria de Lourdes Cervi Silva.  Jordelina, coordenadora do Neti, ficou com a sexta cadeira, do Patrono Acélio Richetti; Eddy,  presidente do CENETI, assumiu a cadeira de número sete, da patrona Terezinha de Jesus Garcia Rovaris; Nilzon Aguiar, ficou com a oitava cadeira, da patrona Vanda Renata da Silva; Diana Leony Pinheiro, assumiu a cadeira de número nove, da patrona Celia Iracema Kuerten e Urilda Azevedo Coutinho Soares, ficou com a décima cadeira, da patrona Vilma Baystorff.

Osmarina, presidente da Academia, recitou o poema de sua autoria “As duas mulatas”

Em nome de todos os acadêmicos, Osmarina, presidente da Academia, fez o pronunciamento. Declarou o orgulho perante a história do Neti, além de caracterizá-lo como vitorioso. “A velhice é a etapa maior da vida do ser humano e por esta razão é preciso viver e viver muito melhor”, pontuou. A primeira execução do hino da Academia, criado pela acadêmica Diana Leony, marcou o encerramento da posse. Não fazia parte da programação, mas Osmarina aproveitou e recitou a poesia “As duas mulatas” para quem permaneceu no auditório.

Texto: Diana Hilleshein / Estagiária de Jornalismo / Agecom / UFSC

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC