Secretaria de Ações Afirmativas divulga dados sobre gênero na UFSC

27/07/2017 16:40

A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD/UFSC), através da Coordenadoria de Diversidade Sexual e Enfrentamento da Violência de Gênero (CDGEN) apresenta dados sobre sexo e gênero na comunidade universitária da UFSC. Os dados foram sistematizados pelo Setor de Apoio a Pesquisas e Projetos e estão representados em gráficos e tabelas.

De forma geral, a comunidade universitária demonstra um equilíbrio de gênero: das 44.735 pessoas, temos 51,4% de homens e 48,6% de mulheres. Mas os dados por segmento da comunidade universitária, ou mesmo por centros e unidades da UFSC, apresentam um cenário diferente e complexo. Há áreas de concentração com grande predominância masculina ou feminina.

Estudantes de graduação

Entre os estudantes de graduação presencial há mais homens (16.722) do que mulheres (15.046). Mas a diferença seria revertida em favor das mulheres caso o CTC fosse tomado à parte, pois esse centro responde pelo maior público masculino em termos absolutos: de seus 6616 discentes, 4719 são homens.

O CDS e o campus de Joinville têm grande maioria masculina. Por outro lado, o CED apresenta a maior disparidade na distribuição por sexo, porque para cada estudante homem há mais de três mulheres; e elas também são mais do que o dobro no CCS, onde a razão é de 2,65 para um.

Estudantes de pós-graduação

Há mais pós-graduandas (3.886) do que pós-graduandos (3432). Nos centros de Saúde, Educação, Comunicação e Expressão e Ciências Biológicas predominam as mulheres. Somente o Centro Tecnológico e o de Ciências Físicas e Matemáticas têm predominância masculina e, mesmo assim, menor do que na graduação, no caso do CTC. Em nove dos quinze centros há mais estudantes mulheres do que homens. A maior diferença proporcional ocorre no CCS, onde elas são o quádruplo deles.

Servidores técnicos

As mulheres são maioria no segmento dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação, superando os homens em 338 pessoas (1.777 mulheres para 1.439 homens). A maior parte dessa diferença pode ser explicada pela preponderância feminina no Hospital Universitário, que é o setor com maior lotação de servidores na UFSC e onde os homens não chegam a ser um terço do total da força de trabalho. Em contrapartida, na Pró-Reitoria de Administração – segundo maior setor – há mais de quatro homens para cada mulher.

Em 20 dos 36 setores de lotação há mais mulheres ocupando cargos na carreira técnica.

Servidores docentes

O corpo docente é majoritariamente masculino: há 371 professores a mais do que professoras num universo de 2.433.

O centro com o maior percentual de homens no exercício de atividades de ensino é o CFM (83,7%). Contudo, o CTC é o local que mais contribui para a preponderância masculina no segmento, por ter o maior corpo docente da universidade, somando 374 pessoas, sendo que os homens são 81%. Ademais, também em Blumenau e Joinville os homens são mais do que o dobro das mulheres na docência. As professoras são maioria somente no CCE, no CCS e no CED.

Todos os gráficos e tabelas estão disponíveis na página da SAAD.