13ª edição das Jornadas Bolivarianas debate a educação na América Latina

10/05/2017 14:08

Com o tema “A educação na América Latina e os 100 anos da Reforma de Córdoba”, a XIII edição das Jornadas Bolivarianas ocorrerá de 15 a 17 de maio, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A programação do evento, que é promovido pelo Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA), inclui conferências, debates e apresentação de trabalhos. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no local do evento.

Sobre o tema

Quando em 1918 os estudantes da Universidade de Córdoba se levantaram em rebelião exigindo uma nova forma de ser universidade iniciava um novo tempo no ensino superior da América Latina. O protagonismo estudantil colocou abaixo velhas práticas, rompeu com o colonialismo cultural e inaugurou o tempo da autonomia, do governo compartilhado, da extensão universitária e de democracia dentro das instituições. Foi um movimento que mudou não apenas o ensino universitário na Argentina, mas incendiou e influenciou toda a América Latina.

Para celebrar os 100 anos desse momento na vida universitária latino-americana, as Jornadas Boliviarianas debaterá o tema Educação. Se em 1918 os estudantes se levantaram pelo direito de dirigir, junto com professores e técnicos, a vida universitária, hoje presenciamos outros levantes dos estudantes, universitários e secundaristas, na batalha por uma educação de qualidade e democrática. No Brasil, as reformas no ensino médio e as propostas do governo federal para a universidade tornam esse tema um ponto chave no debate nacional.

Programação 

|| 15 de maio (segunda-feira)

Manhã (Auditório da Reitoria) 

8h30 – Conferência “A reforma universitária do século XXI: Legados e batalhas atuais por uma Universidade Nuestroamericana emancipadora”, com Plabo Imen (Argentina).

Tarde (Auditório da Reitoria)

 14h30 às 18h – Apresentação de Trabalhos

“Notas sobre o pensamento pedagógico libertador latino-americano”, de Efendy Emiliano Maldonado bravo;

“A bússola mariateguiana e a questão indígena”, de Carmen Susana Tornquist;

“A decolonialidade na educação em direitos: a reforma do ensino médio brasileiro”, de Robson Oliveira Gonçalves, e Vinícius Silva Bonfim;

“Outro olhar sobre a América Latina nas aulas de História da educação básica”, de Rafael Gonçalves de Oliveira, e Alana Cristina Teixeira Chico. 

Noite (Auditório da Reitoria) 

18h30 – Conferência “A falência da social-democracia e o sonho da democracia universitária de Nuestra América”, com Heinz Dieterich (México).

|| 16 de maio (terça-feira)

Manhã (Auditório da Reitoria)

 9h – Conferência “A Reforma de Córdoba nas raízes da educação cubana”, com Pedro Martínez (Cuba).

Tarde (Auditório da Reitoria) 

14h30 às 18h – Apresentação de Trabalhos 

“Subordinação e dependência: A lumpen-burguesia e o desenvolvimento capitalista no Brasil”, de Raphael Lobo Duarte Batista Teixeira;

“Das sombras à luz: as Universidades Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Nacional de Córdoba (UNC) sob as ditaduras civil-militares brasileira (1964-1985) e argentina (1976-1983)”, de Gabriel Roberto Dauer;

“Representações, diferenciações e processos de identidades das sociedades ameríndias brasileiras”, de Maira Damasceno;

“Os novos fluxos migratórios em Santa Catarina, educação e direitos humanos”, de Janaina Santos.

Noite (Auditório da Reitoria) 

18:30 – Conferências

“Em busca da interculturalização da Educação Superior na América Latina”, com Luis Fernando Sarango Macas (Equador).

“Ciência rebelde ou modernização reflexa: O dilema latino-americano em Ciência e Tecnologia”, com Diógenes Breda (Campinas/Brasil).

|| 17 de maio (quarta-feira)

Manhã (Auditório da Reitoria)

 9h – Conferências

“A educação bolivarana inclusiva e de qualidade na Venezuela”, com Trina Manrique (Venezuela).

“Dilemas atuais da educação brasileira”, com Ivo Tonet (UFAL).

 Tarde (Auditório da Reitoria)

14h30 às 18h – Espaço livre

Noite (Auditório da Reitoria)

 18h30 – Conferências 

“A Universidade Necessária como superação da Universidade Operacional e da Universidade Inclusiva”, com Nildo Domingos Ouriques (IELA-UFSC).

“Educação e Revolução no ISEB: a experiência dos Cadernos do Povo Brasileiro (1962-64)”, com Angélica Lovatto (UNESP).

 Mais informações na página do IELA, pelo e-mail  ou pelos telefones (48) 37216483 | (48) 999078877 (Whatsapp).