Laboratório de Experimentação Remota do campus Araranguá recebe prêmio internacional

10/04/2017 11:17

O  Grupo de Trabalho em Experimentação Remota Móvel (GT-MRE), projeto desenvolvido pelo Laboratório de Experimentação Remota (RExLab), do campus de Araranguá da UFSC, recebeu o prêmio GOLC (Global Online Laboratory Consortium), de melhor laboratório controlado remotamente. O GOLC é uma entidade formada por universidades como o Massachusetts Institute of Technology (MIT), a Universidade de Queensland e a Universidade do Porto. A premiação ocorreu durante a conferência REV 2017 (14th International Conference on Remote Engineering and Virtual Instrumentation), realizada entre os dias 15 e 17 de março, em Nova York (EUA), e foi recebida pela Universidade de Deusto, instituição parceira RExLab.  Desde 2014 o GT-MRE atende mais de 5 mil alunos e docentes no estado de Santa Catarina, em todos os níveis escolares. Também trabalham com outras instituições, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que utilizam a tecnologia para construir e disponibilizar experimentos remotos. O coordenador Juarez Bento da Silva, diz que “este é o prêmio mais importante que o RExLab recebeu até hoje, pois, é um prêmio internacional avalizado por instituições de muito prestígio. Considerando que o RExLab estará completando 20 anos em abril deste ano, este prêmio toma uma dimensão maior ainda, pois, reforça nossa convicção em trabalhar com soluções abertas, de distribuição gratuita e baixo custo.”

A plataforma desenvolvida pelo GT-MRE, chamada de Relle (Remote Labs Learning Environment), é um ambiente virtual que permite o uso de experimentos físicos reais via internet. O objetivo é empregar as Tecnologias de Informação e Comunicação como ferramenta para aumentar a qualidade do aprendizado prático dos alunos, principalmente em áreas como ciências, tecnologia, engenharia e matemática. Essa experimentação é uma área de pesquisa que visa ampliar a capacidade humana para além de seus limites, utilizando os recursos da Internet e de outros meios tecnológicos capazes de prover acesso remoto, possibilitando o compartilhamento de recursos de um modo geral. Em outras palavras, é possível operar-se um equipamento remotamente, ou seja, de um local distante do mesmo.

A partir deste conceito surgiu em 1997 o RExLab, que conta atualmente com uma rede de 12 Universidades (RexNet) em 5 países diferentes. Um de seus objetivos é atender a necessidade de apropriação social da ciência e da tecnologia, popularizando conhecimentos científicos e tecnológicos, estimulando os jovens a inserirem-se nas carreiras científico-tecnológicas e buscar iniciativas que integrem a educação científica ao processo educacional promovendo a melhoria devido à atualização e modernização do ensino em todos os seus níveis, enfatizando ações e atividades que valorizem e estimulem a criatividade, a experimentação e a interdisciplinaridade.