Estudantes da UFSC promovem série de eventos ‘Abril indígena’

19/04/2017 09:00

Grupos de estudantes indígenas da UFSC irão promover o “Abril indígena”, com uma série de eventos neste mês. O encontro “Resistência Indígena” irá marcar o Dia dos Povos Indígenas, 19 de abril, e contará com exposição e artesanato indígena no hall da Reitoria, a partir das 13h45. Rodas de conversa, oficina de pintura corporal e apresentação de documentário também integram a programação.

Já o “Em defesa dos direitos indígenas”, parceria de estudantes com o grupo de estudos Werá Tupã terá aula magna no dia 17 de abril, às 18h30, com Nanblá Gakran, no auditório do CSE, além de contar com apresentações de filmes.

Confira as programações

Em defesa dos direitos indígenas – 17 a 19 de abril

17 de abril

14h – Apresentação do filme Pirinop (direção de Mari Corrêa e Karané Ikpeng), no Auditório Elke Hering, da BU. unnamed (1) (1)

18h30 – Aula magna com Nanblá Grakan, no auditório do Centro Socioeconômico.

18 de abril

18h – Apresentação do filme Ojepotá (direção de Kennedy Karai) , no auditório do Centro Socioeconômico.

19 de abril

16h – Conversa aberta com o artista indígena Jaider Esbell, do povo Makuxi, no MArquE.

18h – Apresentação do filme Resistir – Vários povos, uma só luta (direção deÍtalo Mogconãnn – Laklãnõ/Xokleng), no Auditório Elke Hering, da BU.

 

Resistência Indígena – 19 de abril cartaz

13h45 – Abertura do evento.

Com danças, cantos ritos e rezo (Marcos Moreira).

14h20 – Apresentação e roda de conversa com as lideranças indígenas:

Joziléia Kaigang  – Doutoranda em Ciências Sociais e coordenação da Licenciatura Intercultural indígena.

Marcos Moreira – Líder Guarani

Ítalo Moconã – Graduando em Cinema

Laura Parintintin – Estudante Ciências Sociais

Jafe Sateré-Mawé – Estudante de Direito

15h – Documentário Resistir – Vários povos, uma só luta (direção deÍtalo Mogconãnn – Laklãnõ/Xokleng)

O documentário apresenta a perspectiva indígena dentro da academia, seguido de roda de conversa.

16h30 – Oficina de pintura e grafismo indígena.

Pintura corporal com jenipapo e urucum.

17h30 – Encerramento com cantos tradicionais indígenas