Sugestão de estudante da UFSC pode virar concurso de projeto para memorial da Ponte Hercílio Luz

30/03/2017 17:59

Uma sugestão de um estudante de Arquitetura e Urbanismo da UFSC pode dar um destino edificante para o andaime da reforma da ponte Hercílio Luz: um concurso público do projeto de memorial e museu da Ponte Hercílio Luz. A ideia para reaproveitar os materiais, ainda em análise, foi levada ao governo do Estado pela direção do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de Santa Catarina (IAB-SC) e visa utilizar a estrutura de aço e madeira que será desmontada ao final da reforma.

O acadêmico da UFSC Thiago Steffen idealizou a proposta quando percebeu, ao iniciar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), que a estrutura que dá suporte ao vão central da Ponte Hercílio Luz não tinha uso definido – poderia ser usada em pontes vicinais no interior do estado ou até ser vendida como ferro-velho. Ele pesquisou as possibilidades e detectou a demanda de edificar um memorial contando a história da Ponte Hercílio Luz e sua relação com Florianópolis e Santa Catarina.

Além de fazer o TCC, Thiago levou a ideia ao IAB-SC, através da Diretoria de Cultura da entidade, que avaliou as possibilidades de um concurso público de projeto arquitetônico sobre o tema junto ao governo do Estado – a contrapartida seria um espaço para a Casa do Arquiteto, sua sede em Santa Catarina.

O local prospectado para receber a obra seria uma área no continente, onde funciona o atual canteiro de obra da reforma da ponte Hercílio Luz e propriedade da União. Seu entorno é definido pela ciclovia que conecta com a Beira-mar continental, o Parque Coqueiros, o IFSC e as cabeceiras das pontes, passando sob as pontes Colombo Sales e Pedro Ivo. Com a reforma da ponte, poderia ser realizado um roteiro turístico que incluísse o Parque da Luz, na cabeceira da ilha.

De acordo com Thiago, o aço da estrutura é um material nobre na construção civil de alta resistência, durabilidade e que possibilita maior velocidade na conclusão de obras. Com as mesmas peças é possível desmontá-la e reutilizá-las em diferentes projetos sem perder suas características de resistência. O valor estimado das peças de aço, adquiridas pelo governo do Estado, é de R$ 60 milhões.

Memorial Luz

A proposta de Thiago, chamada “Memorial Luz” no seu TCC, incorpora “demandas essenciais da cidade, como a carência de espaços públicos qualificados para lazer (que não sejam somente as praias) e cultura por meio do reaproveitamento de uma matéria prima nobre que já pertence ao estado de Santa Catarina”.

01_Darstellungsschema_THIAGO STEFFEN

Esquema geral da proposta do TCC de Thiago Steffen.

Segundo o acadêmico, a ideia é tornar o novo prédio ocupado durante o maior período de tempo possível do dia, “um fator importante para segurança dos usuários e do próprio edifício, uma vez que essa é uma das críticas conhecidas na arquitetura ao urbanismo moderno que visava setorizar usos e que resultou na falência de setores urbanos”.  O programa da estrutura prevista por Thiago em seu TCC, que será defendido no segundo semestre deste ano, prevê, além do Memorial da Ponte, um ponto de atracagem para barcos de uso privado e público; estacionamento; bicicletário; salas para pequenos comércios e serviço; auditório; área para exposições itinerantes; sala para reuniões; administração; secretaria; almoxarifado; área técnica de manutenção preventiva da Ponte e Laboratório de estruturas e patologias do aço da universidade; biblioteca voltada para engenharia e arquitetura com espaço que permita o estudo; e a Sede Administrativa Estadual do IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil.

Estudo

A proposta do concurso está sendo avaliada pelo governo do estado, que irá fazer análise detalhada do entorno de ambos os lados da cabeceira da Ponte e do terreno em si e dos órgãos envolvidos com o patrimônio histórico.