Revista da UFSC publica dossiê com artigos de experiências em Timor-Leste

21/12/2016 09:22

Revista Perspectiva, do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), publicou um dossiê intitulado “Cooperações Educacionais entre países Sul-Sul: análises e perspectivas sobre o Timor-Leste e Moçambique”, o qual traz reflexões sobre cooperações internacionais educacionais entre Brasil, Moçambique, Portugal e Timor-Leste.

As cooperações Sul-Sul são processos de articulação política e de intercâmbio econômico, científico, tecnológico, cultural e em outras áreas entre países em desenvolvimento. Na última década, o Brasil foi protagonista de muitas experiências de internacionalização solidária em suas instituições, traçando parcerias com vários países da África, Ásia e América Latina.

No documento, é destacado o Programa de Qualificação de Docentes e Ensino de Língua Portuguesa (PQLP), iniciativa realizada em Timor-Leste desde 2005, coordenada pela Diretoria de Relações Internacionais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em parceria com a UFSC e o Ministério das Relações Exteriores (MRE). Na UFSC, os professores Suzani Cassiani e Irlan von Linsingen coordenam o programa desde 2009.

“Tivemos grandes desafios e oportunidades de aprendizagem em atuar como coordenares acadêmicos. Neste programa, cerca de 50 professores brasileiros foram enviados para o Timor-Leste durante mais de uma década, para atuarem na Universidade Nacional de Timor Lorosa’e (UNTL), nos Ministérios e na formação de professores da educação básica, a qual conta com a atuação de 85% de professores leigos”, relata Suzani.

Legen

Cerca de 50 professores brasileiros foram enviados para o Timor-Leste para atuarem na Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, nos Ministérios e na formação de professores da educação básica. Foto: Arquivo UFSC

A professora também destaca outros desdobramentos a partir do PQLP, como o Projeto de Pró-Mobilidade Internacional da Associação de Países de Língua Portuguesa, também financiado pela Capes, o qual promove intercâmbio entre os dois países, proporcionando visitas de trabalho e estudo de docentes e estudantes brasileiros e timorenses, entre as universidades Federal de Santa Catarina (UFSC) e Nacional de Timor Lorosa’e (UNTL).

“Além disso, pelo menos 15 timorenses foram contemplados com bolsas fornecidas pelo governo timorense, realizando suas formações na graduação e pós-graduação na UFSC. No momento, cinco deles já defenderam suas dissertações de mestrado no Programa Pós-Graduação em Educação e no Programa Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica. Todas essas vivências têm evoluído em pesquisas de docentes e estudantes brasileiros que desenvolvem com a temática da educação em Timor-Leste”, conta a coordenadora do programa.

Dossiê
A partir da vivência acadêmica de construção de conhecimentos sobre as questões relacionadas ao PQLP e a estreita relação com os atuais interesses e desafios postos aos processos de internacionalização das universidades brasileiras, foi proposto este dossiê, que destaca, principalmente, os processos e desafios postos aos processos de internacionalização solidária das universidades brasileiras.

Segundo a coordenadora do PQLP na UFSC, Suzani Cassiani, as temáticas são interdisciplinares e a excelência dos autores deve ser destacada, tanto pela experiência no tema, quanto pelas áreas de pesquisa.

Trabalhos
O artigo de Maria Paula Meneses, da Universidade de Coimbra – Portugal, intitulado “As ciências sociais no contexto do ensino superior em Moçambique: dilemas e possibilidades de descolonização”, traz uma avaliação de alguns aspetos que marcam as políticas de conhecimento em Moçambique, no qual discute as possibilidades para a “descolonização” das ciências sociais.

O segundo trabalho, “Cooperação Educacional Brasileira em Timor-Leste: desafios e contradições”, elaborado por Vicente Paulilo, da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e – Timor-Leste, e Maria Denise Guedes, da Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” (UNESP), traz a contradição fundamental que aquele país enfrenta na atualidade manifestada na tensão entre a necessidade de atender as exigências do capitalismo mundial, aos países periféricos do sistema, e a luta pela preservação da sua identidade cultural.

No artigo dos coordenadores do PQLP em co-autoria com Patrícia Barbosa Pereira, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), “Educação em Timor-Leste e as cooperações internacionais: internacionalismo solidário ou neocolonialismo?”, é apresentada uma noção do perfil dos cooperantes brasileiros na formação de professores de ciências do Timor-Leste. Nas análises, são realizadas problematizações sobre a colonialidade do poder e críticas a atuações assistencialistas, a importância da consolidação da paz, entre outras reflexões.

O texto, “Marcadores identitários do professor de Biologia de Timor-Leste” é parte dos resultados de pesquisa de mestrado de Marina Reis, da Rede Estadual de Ensino do estado de São Paulo, em co-autoria com sua orientadora Verónica Marcela Guridi da Universidade de São Paulo (USP). A convivência no trabalho com o PQLP no período de 2007 a 2009 foi a razão para esse estudo sobre a constituição da identidade docente do professor de Biologia. Como resultado, esse artigo traz marcadores identitários dos professores leste-timorenses que evidenciam influências advindas da sua recente história de dominação e liberdade, sobrevivência e resistência.

As autoras Marcia Cavalcanti, doutoranda da USP, e Regina Helena Pires de Brito, da Universidade Mackenzie, apresentam o artigo “Língua Portuguesa: Formação Docente e Educação Pré-Escolar em Contexto Timorense”, resultado de pesquisa de mestrado da primeira autora.

O artigo “Brasil e Timor-Leste: reflexões sobre formação de professores universitários e cooperação educacional” é uma parceria entre Manoel Belo de Carvalho, da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, e Raquel Scartezini, articuladora geral do PQLP/Capes de Timor-Leste até 2016. Ele traz reflexões sobre as atividades da cooperação educacional brasileira desenvolvida no ensino superior em Timor-Leste, indagando se esta tem contribuído para a formação e o aperfeiçoamento de docentes universitários de ambos os países, focando nas atividades de codocência na formação do professor universitário de ambos países, Brasil e Timor-Leste.

Acesse o Dossiê.

Texto: Natália Morato/Capes