UFSC homenageia pesquisador contemplado pelo Prêmio Fundação Bunge

03/08/2016 18:05

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) homenageou com medalha, placa e diploma o pesquisador Felipe do Nascimento Vieira, vencedor do Prêmio Fundação Bunge – categoria Juventude, nesta quarta-feira, 3 de agosto. Engenheiro agrônomo da UFSC, ele orienta mestrandos e doutorandos do Programa de Pós-Graduação em Aquicultura e atua no Laboratório de Camarões Marinhos (LCM) da instituição.

Homenagem a Felipe Vieira no gabinete do reitor. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Homenagem a Felipe Vieira no gabinete do reitor. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

O anúncio dos contemplados da 61ª edição do prêmio foi realizado no dia 22 de julho, após a reunião do Grande Júri, formado por reitores de universidades e presidentes de entidades científicas de renome. Felipe foi o vencedor na área de Ciências Agrárias – tema “Nutrição e Alimentação Animal”. Sebastião de Campos Valadares Filho, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), foi o contemplado na categoria Vida e Obra da mesma área. Na área Ciências Exatas e Tecnológicas – tema “Infraestrutura de transportes”, José Vicente Caixeta Filho, da Universidade de São Paulo (USP), foi o contemplado na categoria Vida e Obra, enquanto Hugo Miguel Varela Repolho, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) foi agraciado na categoria Juventude.

Para a categoria “Vida e Obra” são escolhidos profissionais pelo conjunto de seus trabalhos e, na “Juventude”, jovens de até 35 anos que se destacam em seus campos de atuação. A cerimônia oficial de entrega do prêmio e medalha será realizada no dia 23 de novembro, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Os agraciados receberão prêmios de R$ 150 mil e medalha de ouro (categoria Vida e Obra) e R$ 60 mil e medalha de prata (categoria Juventude).

“Toda a minha base vem da UFSC, onde fiz minha graduação, mestrado e doutorado”, disse Felipe ao agradecer a homenagem e ao grupo com quem trabalha, vários deles presentes no gabinete do reitor. Natural de Laguna, onde seu pai foi proprietário de criação de camarões, Felipe (vencedor do Prêmio Capes de Teses na categoria Zootecnia e Recursos Pesqueiros em 2010) começou a estagiar no LCM ainda na terceira fase. Perguntado pelo presidente da Fapesc, Sergio Luiz Gargioni, sobre o que vai estar fazendo daqui a 20 anos, ele não titubeia: “O que gosto e tenho paixão de fazer é pesquisa de ‘chão’, lidando diretamente com alunos e pesquisadores”.

A vice-reitora da UFSC, Alacoque Lorenzini Erdmann, lembrou que Felipe era o único representante da região Sul e destacou o perfil de Felipe, de um “pesquisador que atua nas diferentes frentes da Universidade, que ajuda no desenvolvimento da integração entre ensino, pesquisa e extensão. O perfil de profissional que a gente projeta para a UFSC em 2030, 2040, seu exemplo é o que deverá ser tomado”, disse para o homenageado.

O reitor da UFSC, Luis Cancellier, que conduziu os trabalhos, destacou a presença dos pró-reitores de Pesquisa e de Assuntos Estudantis, para “mostrar a importância do evento”.

O diretor do Centro de Ciências Agrárias (CCA), José Carlos Fiap Padilha, manifestou “satisfação imensa em saber que, dentro do CCA, temos uma juventude com esta capacidade. É mérito deles, que encaram a vida profissional com este empenho”.

Prêmio Bunge

O Prêmio, um dos mais tradicionais e respeitados pelo meio acadêmico, foi criado em 1955 pela Fundação Bunge para incentivar o conhecimento científico em diversas áreas, homenagear o poder transformador dos indivíduos na sociedade e estimular novos talentos.

A indicação dos nomes é feita diretamente pelas intuições acadêmicas, científicas e culturais e em nenhum momento do processo de premiação são divulgados os nomes dos indicados. Apenas os nomes dos contemplados de cada área são conhecidos no final do processo. Esse sigilo assegura a independência do Prêmio e a indicação dos melhores em cada área, segundo o aval dos reconhecidos especialistas integrantes das comissões e júri. Por isso, não há concorrentes, nem perdedores. O prêmio destaca a inovação incorporada nos projetos, que acabam beneficiando a sociedade brasileira e até outros países, que podem adotar iniciativas bem sucedidas aqui e que servem para outras sociedades.

Com informações da assessoria da Fundação Bunge.

Fotos: Henrique Almeida/Agecom/UFSC