Grupo da UFSC ganha prêmio ao avaliar produto que diminui alteração na cor dos dentes

01/10/2015 14:38

A experiência de ir ao dentista pode ser traumática para diversas pessoas, ainda mais quando se utilizam produtos que possam comprometer o sorriso dos pacientes, gerando desconforto. Pensando nisso, o Grupo de Pesquisa em Endodontia do Departamento de Odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) estudou a variação da cor dos dentes pelo uso de duas pastas antibióticas para tratamento de canal.  A triantibiótica clássica, composta por ciprofloxacina, metronidazol e minociclina, mostrou maior alteração na cor dos dentes, comparada à pasta triantibiótica modificada, na qual a minociclina foi substituída pela amoxicilina. O trabalho obteve o prêmio na categoria Terapia Endodôntica, na 32ª Reunião da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica, principal evento do gênero na América Latina. O Programa de Pós-Graduação em Odontologia da UFSC contou com 58 trabalhos de alunos e egressos no concurso.

O foco do estudo foi a Endodontia Regenerativa, uma abordagem alternativa para o tratamento de canal comum. Ele consiste no uso de célula-tronco e biomateriais, responsáveis por regenerar o tecido danificado dos dentes. As pastas triantibióticas são utilizadas para eliminar bactérias que possam atrapalhar este tratamento. Um dos pontos principais da Endodontia Regenerativa é a troca de produtos plásticos pelo uso das células tronco e dos biomateriais – como o cimento ionômero de vidro, responsável pelo fechamento dos canais.

Para analisar os materiais testados, o grupo utilizou dentes bovinos, cuja dentina é semelhante à humana, com a vantagem de não precisar usar matéria humana no desenvolvimento da pesquisa. O estudo evidenciou que a média de alteração de cor nos dentes tratados com a pasta “triantibiótica modificada” foi cerca de quatro vezes menor do que nos dentes tratados com a pasta triantibiótica clássica.

A doutoranda em Endodontia, Luciane Geanini, conta que o procedimento é feito, majoritariamente, em crianças e adolescentes, que são os grupos etários mais afetados por cárie e trauma dental, principalmente pelo grande número de acidentes por eles sofridos, como quedas de bicicletas e skates, que podem machucar o nervo do dente. Assim, a pesquisadora ressalta a importância das consequências estéticas para evitar preconceito ou bullying em função da coloração diferente dos dentes.

Pesquisa em Endodontia - Luciane e Camila - Foto Henrique Almeida

Luciane Geanini (à esquerda) e Camila Guerner representaram o grupo de pesquisa em Campinas (SP). Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC

Luciane explica que a pasta triantibiótica modificada possui preço semelhante à tradicional e que poderia ser obtida em farmácias de manipulação, porém, a pesquisadora ressalta que ainda será preciso realizar mais estudos quanto a ação antimicrobiana deste produto.

Camila Guerner Springmann, Wilson Tadeu FelippeMabel Mariela Rodríguez CordeiroCleonice da Silveira TeixeiraEduardo Antunes Bortoluzzi e Gabriela Santos Felippe foram os colaboradores da pesquisa, idealizada e executada por Luciane Geanini e orientada por  Mara Cristina Santos Felippe.

Empolgação

Aluna da nona fase do curso, Camila Guerner foi para Campinas apresentar o estudo e conta que não esperava receber o prêmio, principalmente pela grande quantidade de participantes – todas as universidades do país podem enviar trabalhos. Após o nervosismo durante o evento, Camila se diz muito mais animada a começar a pesquisar regeneração odontológica para seu TCC, e recomenda a experiência na pesquisa para todos os estudantes.

Para Luciane, fica o indicativo de que está no caminho certo. O reconhecimento para com a pesquisadora serve de apoio para continuar o seu projeto de doutorado, que analisará a utilização de células tronco na Endodontia Regenerativa. O grupo de pesquisa recebeu o certificado de premiação e R$ 1,5 mil, que será investido em outras pesquisas do laboratório.

Mais informações:

Endodontia UFSC - (48) 3721-9549

Departamento de Odontologia - (48) 3721-9520

Ana Carolina Prieto/Estagiária de Jornalismo/Propesq/DGC/UFSC

Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/DGC/UFSC