Pesquisadores da UFSC desenvolvem ferramenta inovadora para poda de árvores

27/02/2015 12:03

O campus de Blumenau da UFSC teve mais uma pesquisa com financiamento aprovado – o terceiro da unidade, que iniciou suas atividades há menos de um ano. O projeto, que receberá verba de aproximadamente R$ 1 milhão da Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) – estatal responsável pela geração, transmissão e distribuição de energia –, visa auxiliar a poda de árvores em linhas de transmissão e redes de distribuição de média tensão.

A poda, prática comum que visa reduzir os conflitos das árvores com as linhas de transmissão, é necessária para a manutenção e inserção de plantas no ambiente urbano.

A proposta do professor de Física, Marcio Loos, é aumentar o rendimento dos trabalhadores do setor, diminuir custos e tornar as atividades menos cansativas. Além disso, tem caráter ecológico e pretende aproveitar os resíduos da poda. “A nova ferramenta que desenvolveremos consistirá em uma serra recíproca pneumática acoplada a uma haste telescópica pneumática. Diferentemente de outros equipamentos, a serra será leve e permitirá cortar galhos grossos e finos. O uso de ar comprimido permitirá que a haste seja estendida e retraída, e que a serra seja acionada”, explica o pesquisador.

O projeto será desenvolvido durante 30 meses por uma equipe multidisciplinar de três campi. Além do professor Loos, os professores de Engenharia Elétrica, Jorge Coelho (Florianópolis), e de Engenharia Florestal, Marcelo Callegari Scipioni (Curitibanos), estão envolvidos na criação do sistema inovador. “O novo equipamento, de alto valor tecnológico, permitirá o corte de galhos maiores, em locais mais altos, sem a necessidade do uso de escadas e cestos acoplados a braços mecânicos”, conta o coordenador do projeto.

No final do primeiro ano, Loos avalia que serão estudadas possibilidades de criação de cooperativas para geração de adubo a partir dos resíduos oriundos da poda de árvores. “Não há uma política de reaproveitamento dos resíduos de poda e de formação de cooperativas nesta área. Precisa-se de uma metodologia de caráter ecológico que evite o depósito desses materiais em aterros e lixões e contribua para a diminuição da contaminação do solo e de lençóis freáticos.”

De acordo com o pesquisador, este projeto possibilitará a criação do primeiro laboratório de pesquisa do campus de Blumenau. A instalação vai contribuir para o desenvolvimento de diversas atividades de pesquisa e para a formação de estudantes.

Mais informações com Marcio Loos, pelo e-mail e pelo telefone (48) 3721-3364.

Caetano Machado/Jornalista da Agecom/DGC/UFSC

Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/Diretoria-Geral de Comunicação/UFSC