Prebióticos contribuem para perda de peso em pessoas submetidas a cirurgia bariátrica

08/08/2014 14:24

Estudo desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Nutrição da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) pelo mestre em Nutrição, Ricardo Fernandes, sob orientação do professor Erasmo Benicio Santos de Moraes Trindade, mostrou que o consumo diário de seis gramas de prebióticos durante 15 dias após a cirurgia bariátrica promoveu maior redução de peso nos pacientes, em relação aos indivíduos que não consumiram esse suplemento. A pesquisa envolveu nove adultos submetidos a cirurgia bariátrica no Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC), e nove adultos saudáveis, que não realizaram a cirurgia.

Foto Grupo - Prof. Erasmo Trindade

Grupo de Pesquisa em Imunonutrição e Metabolismo da UFSC. Foto: divulgação

A suplementação diária de prebióticos – produtos alimentares não digeridos pelo corpo e que estimulam o crescimento de bactérias benéficas no intestino – também pareceu exercer efeito redutor em parâmetros inflamatórios no sangue, os quais se apresentam aumentados em indivíduos obesos.  O prebiótico utilizado foi o fruto-oligossacarídeo (FOS) – fibras fermentadas, presentes em diversos alimentos disponíveis na natureza como cebola, aspargos, alcachofra, alho, trigo, banana, tomate e mel. 

Evidências científicas mostram que a obesidade está associada à inflamação crônica, caracterizada pelo aumento persistente das concentrações sanguíneas de proteínas com ação pró-inflamatória. Essa condição está relacionada com o desenvolvimento de doenças associadas à obesidade, como a diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial e aumento nas concentrações de colesterol e triglicerídeos, o que pode culminar com a piora na evolução clínica e até mesmo a morte. Por isso, os pesquisadores acreditam que seja importante implementar estratégias terapêuticas na prática clínica para reduzir o peso corporal e modular o processo inflamatório de forma permanente nos indivíduos obesos.

O estudo realizado foi pioneiro em avaliar o efeito da suplementação de prebióticos sobre algumas citocinas e proteínas de fase aguda – produzidas durante um processo inflamatório – em indivíduos obesos após a cirurgia bariátrica. Os resultados mostraram que houve redução nos valores absolutos dessas proteínas no grupo que recebeu suplementação de FOS ao final dos 15 dias de estudo; além disso, houve redução no risco de complicações inflamatórias e nutricionais quando avaliada a relação proteína C-reativa/albumina, migrando-se da categoria de médio para baixo risco. Adicionalmente, houve redução 53,8% maior no peso corporal daqueles suplementados com FOS, em relação aos indivíduos que não receberam esse probiótico. Estes resultados sugerem potencial atividade do FOS em modular a inflamação dos indivíduos que realizam a cirurgia bariátrica, além de reduzir significativamente o peso corporal, trazendo benefícios à saúde.”, afirma Fernandes.

O provável mecanismo que atribui ao FOS a redução da atividade inflamatória e do peso corporal envolve a fermentação desse prebiótico pelas bactérias do intestino, o que gera produtos absorvidos e utilizados por diversos órgãos do corpo humano. Essas substâncias, especialmente o acetato, modulam a ação das células que compõem o sistema imunológico, reduzindo a produção de citocinas pró-inflamatórias, assim como exercem efeito de diminuição do apetite e armazenamento de gordura, promovendo a redução do peso.

Perspectivas futuras incluem avaliar o efeito da suplementação de FOS em outros parâmetros sanguíneos, como os perfis lipídico, glicêmico e hormonal, bem como verificar se os benefícios observados seriam perdidos, mantidos ou aumentados, caso fossem ampliados o tempo de suplementação e a dose. Baseado nessas perspectivas, um novo projeto de pesquisa será realizado, com maior dose (12 gramas/dia) e tempo de suplementação (60 dias).

A pesquisa contou com o apoio do Grupo de Pesquisa em Imunonutrição e Metabolismo (GPInM), do setor de Análises Clínicas e do corpo clínico que assiste os indivíduos submetidos a cirurgia bariátrica no HU, do Laboratório de Investigação de Doenças Crônicas (LIDoC) do Departamento de Fisiologia da UFSC, do Laboratório de Pesquisa em Imunologia do Departamento de Análises Clínicas da UFSC e da Invictus® Farmanutrição.

Mais informações: Ricardo Fernandes – e professor Erasmo Benicio Santos de Moraes Trindade –

Fonte: Ricardo Fernandes e professor Erasmo Benicio Santos de Moraes Trindade – Departamento de Nutrição – CCS/UFSC

Claudio Borrelli / Revisor de Textos da Agecom / Diretoria-Geral de Comunicação/ UFSC