Sub-rede de Desastres Naturais será coordenada pela UFSC

05/07/2012 15:51

Foto: banco de imagens SXC (Gavin Spencer)

Desastres naturais ocorrem quando um fenômeno da natureza acontece e causa danos e/ou vítimas. No Brasil, a maior parte é causada por fenômenos meteorológicos, ou seja, chuvas intensas que causam enchentes e deslizamentos de terra; falta de chuvas que ocasionam secas; ciclones; furacões; vendavais; entre outros. A Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (CLIMA) foi instituída pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com o objetivo de produzir e disseminar conhecimento para que o Brasil possa lidar com os desafios das mudanças climáticas no planeta. Uma das características da Rede CLIMA é a participação coordenada de diversas instituições de ensino e pesquisa em várias regiões do país, para promover transferência de informações. São 13 sub-redes e cada uma envolve várias instituições, sendo que uma delas é a sede e a responsável pela coordenação. Os temas se subdividem em: Agricultura; Biodiversidade e Ecossistemas; Cidades; Desastres Naturais; Desenvolvimento Regional; Economia; Energias Renováveis; Modelagem; Oceanos; Recursos Hídricos; Saúde; Serviços Ambientais dos Ecossistemas e Zonas Costeiras. A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) será a coordenadora da sub-rede de Desastres Naturais, e as instituições participantes ainda estão em definição.

O Ministério criou a Rede para ser uma base de apoio à diplomacia nas negociações sobre o regime internacional de mudanças no clima. Além de realizar estudos sobre os impactos dessas mudanças no Brasil (com ênfase nas vulnerabilidades do país) e as emissões de gases de efeito estufa, buscar alternativas de adaptação social, econômica e natural às mudanças de clima e contribuir para a criação de políticas públicas, a CLIMA também colabora com a implementação de um sistema de monitoramento e alerta de desastres naturais no país.

Na UFSC, um Comitê de Coordenação para a sub-rede foi criado pela Reitoria. A coordenadora é a professora Regina Rodrigues Rodrigues, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental. Também fazem parte do Comitê os professores Juan Flores, do Departamento de Geociências, e Renato Ramos da Silva, do Departamento de Física. “A intenção é que todos os grupos de pesquisa da UFSC na área de desastres naturais estejam envolvidos, bem como instituições de fora da Universidade, como a Defesa Civil de Santa Catarina, a EPAGRI-CIRAM e o IFSC”, afirmou a coordenadora.

Segundo Regina, os alunos também terão a oportunidade de participar das atividades. “As pesquisas feitas no âmbito da sub-rede podem e devem ter estudantes envolvidos. Haverá uma contribuição em dinheiro para bolsas, mas não sabemos ainda de que modalidades serão essas bolsas, se de pós-graduação ou desenvolvimento técnico”.

A Sub-rede de Desastres Naturais está em fase de implementação na UFSC. No dia 11 de junho, a vice-reitora Lúcia Pacheco teve uma reunião com a professora Regina para tratar desse assunto. Segundo a coordenadora, todo o processo será iniciado com a vinda da professora e pesquisadora Regina Alvalá, coordenadora de Relações Institucionais do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI), no dia 24 de julho. Regina Alvalá vai ministrar uma palestra, aberta à comunidade, para explicar como a sub-rede funcionará.

Informações com a professora Regina Rodrigues Rodrigues: ou (48) 3721-9992.

Por Isadora Ruschel/bolsista de Jornalismo na Agecom