Pesquisas com goiabeira-serrana conquistam prêmio da Sociedade de Botânica Econômica dos Estados Unidos

29/06/2012 13:31

Premiação do trabalho da UFSC é destacada no site da Sociedade de Botânica Econômica

Estudos desenvolvidos pelo Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais da UFSC sobre a goiabeira-serrana foram premiados na 53th Reunião da Sociedade de Botânica Econômica dos Estados Unidos, uma das associações mais importantes e tradicionais da área no mundo.

O trabalho foi levado ao evento pelo doutorando Juan Manuel Otálora Villamil, e avaliado como a melhor apresentação em pôster. Com o reconhecimento, Otálora foi convidado a publicar a pesquisa na Economic Botany, revista da Sociedade de Botânica Econômica.

A apresentação integra resultados parciais obtidos para a tese de Otálora e de Joel Donazzolo, que em breve também vai defender seu doutorado na UFSC. Segundo Otálora, um dos focos de seu doutorado, orientado pelo professor Rubens Onofre Nodari, é entender como a influência humana poderia ter papel fundamental na distribuição atual e nas características da goiabeira-serrana.

A pesquisa também permitirá avançar no conhecimento da espécie quanto a aspectos ecológicos, acompanhados pela caracterização genética e fenotípica da goiabeira-serrana em sua área de ocorrência natural. No trabalho premiado, foram determinadas as características de uso do “tipo Brasil” (na região montanhosa da Serra Gaúcha) e para o “tipo Uruguai” (na região dos Pampas, também no Rio Grande do Sul.

Em saídas de campo são levantadas informações sobre a espécie com a comunidade

“Os estudos demonstram que além do consumo in natura do fruto, a feijoa possui múltiplas funções, entre elas medicinal e ornamental, o que comprova que é conhecida por agricultores em duas regiões do Rio Grande do Sul, ao contrário da ideia de que a planta era totalmente inutilizada e desconhecida por parte das populações locais”, explica Otálora.

“Estes conhecimentos etnobotânicos são fundamentais para o desenvolvimento de programas de conservação da variabilidade genética da goiabeira-serrana, assim como abrem novas possibilidades para pesquisas sobre seu uso em áreas como a farmacêutica e pecuária”, complementa o pesquisador que atua no Laboratório de Fisiologia do Desenvolvimento e Genética Vegetal (ligado do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias) e no Laboratório de Ecologia Humana e Etonobotânica (ligado ao Departamento de Ecologia e Zoologia do Centro de Ciências Biológicas da UFSC)

De acordo com ele, apesar do importante processo e dos avanços obtidos pelo projeto de pesquisa em domesticação da goiabeira-serrana no Brasil, há ainda inúmeras lacunas em relação à distribuição e ecologia da espécie, assim como ao valor do acervo de genes adaptados a diferentes condições e ambientes na região Sul do Brasil. Os estudos são desenvolvidos com apoio financeiro da Fapesc, do CNPq e da Capes.

Saiba Mais:

A Goiabeira Serrana
A Acca sellowiana (Berg) Burret, nome científico antigo Feijoa sellowiana e popular feijoeira, goiabeira- do -mato e goiaba- serrana, é uma árvore nativa da América do Sul, que produz frutos de sabor peculiar. Sua área de dispersão natural está localizada nas terras altas do sul do Brasil, Uruguai e nordeste da Argentina.

Estudos vêm sendo realizados sobre a planta, mas ainda há pouco conhecimento sobre sua distribuição, sua ecologia e as maneiras como é usada. Pesquisas desenvolvidos em parceria entre UFSC e Epagri buscam aprimorar o uso da espécie e oferecer alternativas de trabalho e renda para agricultores no planalto serrano catarinense, onde as condições climáticas são mais favoráveis ao desenvolvimento da espécie.

As pesquisas resultaram em quatro cultivares dessa frutífera. A cultivar é um tipo melhorado, obtido depois de um longo trabalho de coleta, observação na natureza e uma série de cruzamentos, para seleção das plantas com características favoráveis ao cultivo e à qualidade da fruta.

Em campo, a Epagri desenvolve programa de distribuição de mudas da goiabeira serrana para agricultores interessados e há mais de 10 pequenos pomares em observação. A Universidade está investindo também na distribuição de mudas para serem avaliadas a campo e vários pomares experimentais foram implantados nos últimos anos nos três estados do Sul.

Na UFSC os estudos englobam um conjunto de ações que têm como meta caracterizar, conservar, manejar e domesticar recursos genéticos da flora da Mata Atlântica, em estudos vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais.

Mais informações: Juan Manuel Otalora / / (48) 3721-5336

Leia também:

Prêmio Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina reconhece trabalho com a goiabeira serrana

Leia mais sobre pesquisas da UFSC:
Estudos têm resultados promissores para tratamento do AVC e de queimaduras com células-tronco
Pesquisa da UFSC sobre melhoria de ossos sintéticos é apresentada em congresso na China
UFSC se destaca no Prêmio Capes de Tese
Vida do educador Vilson Steffen é tema de documentário
Laboratório realiza ensaios para certificação de implantes de silicone pelo Inmetro
– Pesquisa sobre engenharia metabólica e evolutiva de leveduras conquista Prêmio Top Etanol
Professores da UFSC lançam publicação sobre mudanças climáticas
– Pesquisadores estudam mosquitos na Ilha de Santa Catarina
Tese produz subsídios para aproveitamento sustentável de bromélia nativa da Mata Atlântica
Rede Nacional de Pesquisa em Biodiversidade Marinha comprova redução de peixes no litoral
– Monografia sobre digestores anaeróbios para tratamento do lixo urbano é premiada
UFSC desenvolve sistema para monitorar alimentação e atividades físicas entre crianças de 7 a 10 anos
Pesquisa reforça indícios de que condições na infância afetam obesidade em adultos
UFSC abre inscrições para curso sobre células-tronco
Laboratórios do CDS avaliam atleta da patinação de velocidade
Presidente da Petrobras Biocombustível visita Laboratório de Remediação de Águas Subterrâneas
Prevenção do câncer é tema iniciação científica entre “pesquisadores mirins”
Universidade testa capsulas de erva-mate